Gastronomia

Sebrae/RJ avança no projeto de produção dos cafés especiais

Até o final do ano as fazendas produtoras poderão receber visitas do público

O projeto "Introdução de Cafés Especiais no Estado RJ", desenvolvido pelo Sebrae/RJ na região do Médio Paraíba (Barra do Piraí, Piraí, Valença, Vassouras e Rio das Flores), finalizou mais uma etapa com a entrega dos projetos de viabilidade técnica e econômica para as fazendas Aliança, Florença, União, Aroeira e Taquara que participam da iniciativa. As cinco propriedades receberam os projetos agronômico, ambiental e da Unidade de Processamento de café; além do calendário de atividades agrícolas, do guia para torrefação do café e do Plano de Negócios. O projeto, que é coordenado pelo professor da Universidade de Lavras Flavio Borem, tem entre seus objetivos revitalizar a cafeicultura para produção de cafés especiais e apresentar as possibilidades de agregar valor ao produzido no estado.

Segundo Lidia Espindola, analista do Sebrae/RJ e gestora do projeto, até o final do ano terá início o plantio das primeiras mudas com variedades aberto à visitação turística para contar a história do café. Paralelamente, as demais mudas serão plantadas para compor a área de plantação comercial, que garantirá a viabilidade econômica de cada projeto. “A proposta do programa é revitalizar a cafeicultura no Vale para produção de cafés especiais. Serão dois eixos de atuação: para quem já planta e quer produzir um café especial ou aqueles que querem começar o cultivo”, explicou. Segundo ela, as fazendas participantes serão apoiadas pelo Sebrae/RJ com acompanhamento técnico e poderão utilizar os recursos disponíveis pelo Programa Sebratec, que subsidia 60% dos custos.

A região possui 15 municípios localizados no Vale do Paraíba e já chegou a produzir 75% do café consumido no mundo. Historicamente conhecida por ter várias plantações de café, hoje registra poucas fazendas que ainda cultivam café, algumas delas estão abertas à visitação, mas não exploram o cultivo. A região, caracterizada por pequenas áreas de produção, poderá voltar a gerar ótimos negócios por meio de um novo perfil de produção. “O resultado será a produção de uma bebida com personalidade, para atender o potencial consumidor de produtos diferenciados e de qualidade”, explicou a analista do Sebrae/RJ em Volta Redonda, Leda Barreto. 

O projeto do Sebrae/RJ é desenvolvido em três regiões do estado: Noroeste, Serrana e Vale do Café. Atualmente, o Estado do Rio de Janeiro produz 400 mil sacas e consome 1,3 milhões ao ano, segundo o Centro do Comércio de Café do Rio de Janeiro.  As três regiões foram escolhidas  pela tradição e potencial para produção de cafés diferenciados, apoiados em critérios de sustentabilidade, uso intensivo da tecnologia e cultivo de variedades nobres como grande diferencial de competitividade dos empresários, conforme características regionais.