Premiação

Eletromatrix vencedora do MPE Brasil, na categoria indústria

Empresa é a vencedora do ciclo 2016 do Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas – MPE Brasil, na categoria Indústria.

Fundada em 15 de maio de 1978, a Eletromatrix Industria Galvânica Ltda foi a vencedora do ciclo 2016 do Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas – MPE Brasil, na categoria Indústria. Administrada pela empresária Erica Cristina de Fatima Teixeira Machado de Melo, 42 anos, a empresa é a única indústria galvânica da cidade do Rio de Janeiro com ISO 9000. 

 

A Eletromatrix é uma empresa familiar, com 16 funcionários, que atua em todos os setores da indústria: defesa, aeronáutico, automotivo, saúde, petróleo, naval, elétrico e eletrônico – prestação de serviços técnicos de revestimentos químicos e eletroquímicos para superfícies. Localizada Honório Gurgel (Rua Américo da Rocha, 1520), a empresa de pequeno porte começou sua história com uma sociedade entre o pai e o tio de Érica, que, na época, era o químico responsável. “Desde o começo, a Eletromatrix já se destacava no mercado como uma empresa que cuidava da qualidade. Fomos a primeira do segmento no Rio de Janeiro a ter um setor especifico, com funcionários treinados para fazer o controle de qualidade das peças de nossos clientes”, destaca Érica Cristina Machado de Melo.

 

Casada, mãe de uma menina e formada em Direito, Érica Cristina começou na empresa em 2005. “Nesta época, era professora e advogava. Mas, meu pai me chamou para ser sua pessoa de confiança no escritório. Me apaixonei pelo chão de fábrica, pela qualidade e produção. Comecei do zero. Nunca havia visto uma nota fiscal na vida. Aprendi tudo o que podia sobre ISO e comecei o processo de implementação da certificação, que veio em 2012, após o falecimento do meu pai.”

 

A empresária também se interessou pela filosofia Lean de produção enxuta e, aos poucos, implementou as ferramentas que mais se adequavam ao dia a dia e ao porte da empresa. “Meu lema é: não faça nada na sua empresa que não gere resultado. Não coloque uma folha de papel sequer na sua empresa se ela não te der retorno. Se não tem retorno, não serve para você. Tanto a ISO quanto o sistema de produção enxuta só dão certo porque todas as ferramentas foram adaptadas para a realidade da Eletromatrix. Essa é a nossa maior conquista e nossa forma de inovar e fazer diferente”, destaca.

 

Apoio do Sebrae/RJ – Com objetivo de obter mais capacitação para avançar a Eletromatrix no mercado de petróleo e gás, a empresária buscou apoio do Sebrae/RJ, em 2012, após a morte do seu pai. Ao longo dos anos, participou do Empretec, de rodadas de negócios, consultorias, cursos (gestão financeira, gestão SMS, gestão ISO, entre outras), seminários, workshops e participa do projeto Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás. Érica Cristina ainda foi a vencedora do prêmio Sebrae Mulher Empreendedora – ciclo 2015, na categoria pequenos negócios. “A participação da Eletromatrix no projeto de petróleo e gás do Sebrae/RJ nos ajudou a melhorar a gestão da empresa como um todo. Houve um aprimoramento na qualificação dos funcionários, na melhoria de nossos processos e uma visão mais aprofundada do nosso controle financeiro. O Sebrae/RJ, sem dúvida, contribuiu para a gestão da minha empresa. Costumo dizer que ele é o parceiro perfeito: te ajuda, te faz crescer e não cobra dividendos no final do ano.” A empresária diz que a consequência da especialização é sempre o resultado, principalmente, quando há dedicação e empenho. “Não existe formula mágica. Você só consegue o que almeja se tiver persistência, força de vontade, paciência e visão. O aumento no faturamento é o reconhecimento do trabalho desenvolvido. Hoje, temos a certificação ISO 9001. Somos a única no segmento galvânico no Rio de Janeiro com esta certificação”.

 

Para o futuro da Eletromatrix, Érica Cristina informa que, a médio prazo, espera aumentar o faturamento da empresa e crescer 20% até o final de 2018. Para isso, desenvolve, por exemplo, ações de venda fora do Estado do Rio de Janeiro. “O que me motiva a empreender é acreditar profundamente na indústria do Brasil. Sem indústria, sem produção e sem inovação não existe um país economicamente viável. É impossível sair da crise, sem os empresários. Sem a indústria, não há o que produzir. Se não há produção, não há produto, não há o que vender. Se não há o que vender, não existe emprego, não existe comércio, não existe imposto, não existe sociedade e também não existe política. Somos nós, pequenos empresários, que mais geramos emprego, que mais pagamos impostos em dia e que movimentamos a economia local. E, assim, aos poucos, apesar de tudo e de todas as dificuldades, nós, empresários, faremos o Brasil se reposicionar novamente no mercado mundial.”